Fala, Torcedor! Entrevista com Tozza, criador da TozzaCam e conselheiro do Flamengo

0
545

6O iFlamengoNews estreia, hoje, um conteúdo que faz parte da aba de matérias especiais: o “Fala, Torcedor!”. Trata-se de uma coluna de entrevistas com torcedores conhecidos do Flamengo, seja nas arquibancadas ou no meio das mídias digitais.

O primeiro entrevistado da série é André Tozzini, o “Tozza”, de 42 anos, criador e principal integrante da ‘TozzaCam’, programa da web que discute vários assuntos da semana do Flamengo. Na entrevista, o “Tozza” fala sobre a ‘TozzaCam” e sobre sua vida pessoal e rubro-negra, incluindo a entrada para o quadro de conselheiros do clube. Confira!

iFN: Todo bom flamenguista nasce rubro-negro, mas sempre tem as influências desde pequeno. Você teve alguma influência para torcer para o Flamengo ?

Tozza: Eu sou filho de uma tricolor com um corinthiano/vascaino. Sou rubro-negro por causa do meu avô. Apaixonado pelo Flamengo, fez questão de me fazer flamenguista. Me levou ao Maraca desde os 4 anos de idade. Meu querido e saudoso avô Eduardo Elias Rabha é o responsável.

iFN: Ultimamente, o que mais vem crescendo na internet entre os torcedores de diversos times são os canais abortando assuntos sobre os respectivos clubes. Você, como um dos pioneiros nessa nova mania da internet acha que tem alguma concorrência por conta das criações de novos canais ? 

tozzacamTozza: Bem, a #TozzaCam foi criada no inicio de 2010 e vive até hoje. Não tenho nenhum melindre com relação à concorrência. Acho que tem espaço pra todo mundo. Dou força aos que começaram depois de nós… Eu acho que quanto mais se fala de Flamengo, melhor.

iFN: O que você acha da nova geração de torcedores, principalmente no estádio – onde são muito criticados por não se preocuparem com o principal espetáculo, que são os jogos? 

Tozza: É uma geração nova. Não acho que existe uma regra para torcer. Eu posso falar de mim, tenho 42 anos e que vou ao Maraca desde os 4 anos. Não consigo sair feliz do Maracanã quando o Flamengo perde, mas tem gente que leva na boa. Não vejo problema nenhum nisso não.

iFN: Você também é muito conhecido com as diversas selfies que tira com jogadores do Flamengo – uma, inclusive, que gerou polêmica no jogo contra o Corinthians quando uma emissora filmou você tirando uma selfie com o Guerrero quando o jogo estava 3 a 0 para o adversário. Qual das suas selfies foi a mais difícil para conseguir ? 

Tozza: Cara, isso é engraçado. Eu sempre gostei de tirar fotos com pessoas que admiro. É uma forma de guardar mesmo. Selfie hoje virou o autógrafo de antigamente. Mais difícil? Cara, sinceramente acho que não existiu uma mais difícil. Com o Guerrero foi tranqüilo. Estava no camarote da Radio Cidade e o Guerrero no camarote do Maracanã ao lado. Eu não consigo ver o jogo sentado, então estava de pé na escada. Perto do fim do jogo ele se levanta e vem na minha direção. Eu apenas perguntei se ele se importaria em tirar uma foto, ele disse que não e tiramos. Nada demais.

TozzaiFN: Por você ser um torcedor influente e destaque do Flamengo na internet, tem que manter uma certa postura para não entrar em polêmicas e discussões. É muito difícil para você às vezes lidar com alguns torcedores ?

Tozza: Olha, eu tenho uma preocupação maior sim. Antigamente não tinha, mas hoje tenho. Principalmente porque sou sócio proprietário do clube e conselheiro. Tenho que filtrar algumas coisas, mas sempre respondo ou tento responder a todos. Agora, não vejo dificuldade. A única coisa que não gosto é quando a coisa descamba para a falta de respeito. É o que prezo mais. Debater é ótimo, mas num bom nível e com respeito.

iFN: Você se tornou conselheiro do Flamengo nesse ano. Como foi o sentimento de receber essa responsabilidade, algo que muitos sonham em ser um dia?

Tozza: Olha, pra ser bem sincero, até hoje eu ainda penso nisso. Eu sou sócio do clube desde 2012 e poder ser conselheiro é um sonho que adoraria mostrar a meu avô – na verdade, quando virei, dediquei a ele. É um sonho realizado ser sócio proprietário e conselheiro.

iFN: Para encerrar, como um grande Rubro-Negro e agora conselheiro do Flamengo, você tem sonho de algum dia se tornar presidente do Flamengo ?

Tozza: Rapaz, eu não tenho essa pretensão não. Nunca pensei nisso na verdade, mas também nunca tinha pensado em poder de alguma forma fazer parte da vida política do clube, ajudar nos rumos… Então, quem sabe.

DEIXE UMA RESPOSTA