Flamengo leva empate do Independiente e fica com o vice da Sul-Americana no Maracanã lotado

Após gol de Paquetá, Barco marcou de pênalti e deu o título ao time argentino

0
143
Foto: Gilvan de Souza/Flamengo.

A temporada de 2017 do Flamengo, que começou com o título estadual, terminou da pior forma possível para sua torcida. Num Maracanã lotado, onde o time Rubro-Negro não perde há mais de dois anos, a invencibilidade foi mantida, mas o empate por 1 a 1, na noite desta quarta-feira (13), deu o título da Copa Sul-Americana ao Independiente, que havia vencido por 2 a 1, de virada, na Argentina. Lucas Paquetá abriu o placar no jogo de volta, mas Barco, cobrando pênalti, fez o gol do título para o adversário.

Com o vice-campeonato na Sul-Americana, o Flamengo repetiu a campanha da Copa do Brasil, onde perdeu o título nos pênaltis. Menos mal que a vaga na Libertadores de 2018 foi conquistada no Campeonato Brasileiro. O Fla está no pote 3 do sorteio da fase de grupos da principal competição continental, marcado para a próxima terça-feira (20). Cuéllar foi expulso depois do apito final, por reclamação com a arbitragem, e está fora da estreia.

Primeiro tempo:

Empurrado pela incendiada torcida, o Flamengo começou com tudo. Com apenas três minutos, Lucas Paquetá conseguiu a primeira finalização, de fora da área, mas a bola bateu em Franco e foi facilmente defendida por Campaña. Chance melhor aconteceu no minuto seguinte, começando pela roubada de Réver no campo defensivo. Cuéllar fez ótimo lançamento para Everton, que avançou pela esquerda e cruzou para a área. Felipe Vizeu se esticou e conseguiu finalizar, mas fraco, pela linha de fundo.

Aos poucos as oportunidades de gol foram aumentando. Willian Arão recebeu de Diego e fez novo cruzamento na direção de Vizeu, mas a bola correu muito e foi pela linha de fundo. A torcida rubro-negra quase comemorou aos 12 minutos. Vizeu passou para Everton na meia lua. Em posição irregular, o camisa 22 conseguiu se livrar da marcação, mas chutou em cima de Campaña. O Independiente teve seu primeiro ataque perigoso como resposta, mas Benítez chutou longe. Mais perto passou a finalização de Paquetá, que se livrou de Amorebieta dentro da área. Preferiu o chute ao passe e mandou para fora.

Aos 18, em falta no bico direito da área, Diego cobrou na segunda trave e Juan cabeceou para fora. O Independiente levou perigo com Meza, pela esquerda, mas César fechou o ângulo e bloqueou a tentativa do argentino. O Flamengo seguia melhor. Aos 25, Diego recebeu na área e fintou duas vezes antes de chutar. Amorebieta cortou quase em cima da linha da pequena área. Tamanha ofensividade foi premiada aos 29 minutos. Após nova falta cobrada por Diego, Réver desviou para o meio, Juan brigou pelo alto e a bola ficou limpa para Lucas Paquetá, que só teve o trabalho de empurrar para a rede.

A tranquilidade que o gol deu ao Fla durou pouco tempo. Aos 36, Meza foi derrubado por Cuéllar na área. O árbitro marcou pênalti e, com reclamações, confirmou depois de análise do recurso de vídeo. Barco bateu no canto direito de César, que pulou para o outro lado: 1 a 1. Nos acréscimos do primeiro tempo, Everton conseguiu girar bem na entrada da área, mas foi desarmado por Bustos.

Segundo tempo:

A desvantagem na soma dos dois jogos fez o Flamengo se abrir ainda mais. Em jogada individual iniciada no meio-campo, Paquetá passou por quatro jogadores, girou dentro da área e, caindo, chutou para defesa de Campaña. Um pouco mais de equilíbrio podia ter concretizado o golaço. Melhor em campo, o garoto, logo depois, deu belo passe para o cruzamento de Pará. A bola passou por Vizeu e Everton e saiu do outro lado da área.

Sem alternativa, Rueda apostou no tudo ou nada. Vinicius Junior entrou no lugar de Trauco, com Everton sendo improvisado na lateral esquerda. Todo no ataque, o Fla quase viu a situação ficar ainda mais difícil aos 13. Réver bobeou e Gigliotti encobriu César, mas Juan se jogou na bola e tirou para escanteio antes dela entrar. Passado o suto, recomeçou a pressão. Vinicius Junior tentou de cabeça, sem êxito. Arão assustou da mesma maneira.

Segurando a bronca quando foi necessário, César chegou a ficar desacordado após ter caído de cabeça. Foi bravo e seguiu em campo. Bem representado lá atrás, o Flamengo sofreu mesmo com a falta de pontaria no ataque. Aos 34, Réver recebeu cruzamento de Éverton Ribeiro e cabeceou para fora. Enfurecido, jogou fora a touca que usava desde que teve que levar pontos. Já nos acréscimos, depois de vários torcedores terem ido embora antes mesmo do apito final, Diego teve um chute bloqueado. Réver pegou a sobra, mas isolou. E foi tudo.

FICHA TÉCNICA — FLAMENGO 1 X 1 INDEPENDIENTE:
Final da Copa Sul-Americana – Jogo de Volta
Data: 13 de dezembro de 2017 (quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro/RJ
Arbitragem: Wilman Roldan (COL); Alexander Guzman (COL) e Cristian de la Cruz (COL).
Arbitragem de vídeo: Daniel Fedorczuk (URU); Nicolás Taran (URU) e Roberto Tobar (CHI).

Escalações:
FLAMENGO — César; Pará, Rever, Juan e Trauco; Cuéllar, Willian Arão e Diego; Lucas Paquetá, Everton e Felipe Vizeu. Técnico: Reinaldo Rueda.
INDEPENDIENTE — Campaña; Bustos, Alan Franco, Amorebieta e Tagliafico; Diego Rodríguez, Domingo, Martín Benitez (Albertengo), Meza e Barco; Gigliotti. Técnico: Ariel Holan.

Gols:
FLAMENGO — Lucas Paquetá, aos 29 minutos do primeiro tempo.
INDEPENDIENTE — Barco, aos 39 minutos do primeiro tempo.

Cartões amarelos:

FLAMENGO — Juan, Vinicius Junior e Everton.
INDEPENDIENTE — Campaña, Albertengo, Meza e Barco.

Cartão vermelho:
FLAMENGO – Cuéllar.

DEIXE UMA RESPOSTA