Pressionado, Flamengo supera Mogi das Cruzes e respira na semifinal do NBB

Olivinha fez 13 pontos só no primeiro quarto e terminou com cestinha do jogo três, com 20 ao todo; próxima partida será no sábado (12), em Mogi

0
227
Foto: Diego Maranhão/Tabela Carioca.

O jogo da noite desta segunda-feira (07), entre Flamengo e Mogi das Cruzes, poderia ter marcado o fim da carreira do ídolo rubro-negro Marcelinho Machado. Mas, o Fla venceu por 71 a 64, na Arena Carioca 1, e forçou a realização da quarta partida na semifinal do Novo Basquete Brasil (NBB). O maior pontuador foi Olivinha, que anotou um duplo-duplo de 20 pontos e 13 rebotes. Marquinhos também se destacou, com 17 pontos, em sua melhor atuação na série. Tyrone fez 19 pelo Mogi, seguido por Larry Taylor, com 17. O próximo encontro dos times está marcado para sábado (12), no ginásio professor Hugo Ramos.

Jogo três:

Olivinha foi o dono do primeiro quarto. Responsável por 13 pontos e seis rebotes, quatro deles ofensivos, o pivô chamou para si a responsabilidade de incendiar o ginásio. Com dois arremessos de três convertidos por Tyrone e um por Larry Taylor, o Mogi das Cruzes chegou a estar vencendo por quatro pontos de diferença, mas viu Marquinhos fazer 18 a 17 cobrando lances livres.

A segunda parcial também foi apertada, com nova vitória rubro-negra. Arthur Pecos entrou bem na rotação promovida pelo técnico José Neto e converteu dois arremessos de três, além de outros dois pontos importantes antes do intervalo. Marquinhos também teve uma bola de três pontos, logo no início, só que os arremessadores de longa distância do Mogi, Larry Taylon e Tyrone, não permitiram que a vantagem ficasse maior do que cinco pontos. Caio Torres ainda descontou para 38 a 35 nos últimos segundos do primeiro tempo.

Foto: Diego Maranhão/Tabela Carioca

A primeira cesta do terceiro período foi de três, feita por Marquinhos. Marcando forte, o Flamengo conseguiu ficar na frente por oito pontos, só que por pouco tempo. Larry Taylor anotou um lance livre, enquanto Tyrone meteu mais uma bola de três, dando início a uma frenética troca de ataques. Marquinhos fez mais dois, Filipin respondeu com três, e Ronald Ramon deu o troco na mesma moeda. Quando os paulistas conseguiram encurtar a diferença para três pontos, o dominicano recolocou em seis. JP Batista ainda ampliou para oito, mas Fabrício diminuiu para 57 a 50.

O último quarto começou com a defesa rubro-negra funcionando. Mas, o ataque caiu de produtividade. De ponto em ponto, o Mogi foi ameaçando a encostar, até que, finalmente, Marquinhos guardou uma bola de três. A tensão da partida pareceu ter recaído na arbitragem, que deu uma falta técnica para cada lado e teve marcações duvidosas. Sumido desde o primeiro quarto, Olivinha reapareceu para também converter três pontos e colocar a diferença em oito. Tyrone cortou para cinco no lance livre, mas Arthur Pecos anotou outra bola de três e deixou o Fla com 10 de vantagem, restando apenas cinco minutos. A metade final do período foi marcada por muitos erros dos dois lados, o que acabou favorecendo o Fla, que jogava com o relógio a seu favor. O placar foi definido com Olivinha cobrando lances livres certeiros: 71 a 64.

DEIXE UMA RESPOSTA